Resenha de Outra Volta do Parafuso, de Henry James

Confira a resenha de Outra volta do parafuso, um dos principais trabalhos do escritor norte-americano Henry James.


Inscreva-se no canal do Leia Para Viver


Resenha de Outra volta do parafuso, de Henry James

Acredito que a obra “Outra volta do parafuso” foi um dos livros com mais possibilidades de interpretação que já li.

São vários possíveis significados, um livro que contém múltiplos sentidos.

O mais curioso é que essa característica desafia os leitores e, na mesma medida, torna essa obra um grande clássico da literatura mundial.

Resenha de outra volta do parafuso

Sobre Henry James

Henry James era norte-americano, nasceu em Nova York em 1843. O seu pai foi um intelectual e teólogo bastante rico que acreditava que uma educação de qualidade ocorre através de viagens e contato com outras culturas.

Sendo assim, o jovem Henry James viajou pela França, Itália, Suíça e Inglaterra.

Boa parte da viagem foi reservada para visitar bibliotecas, o que despertou no autor uma enorme paixão pela literatura.

Mais velho, Henry James chegou a cursar a faculdade de Direito. No entanto, abandonou os estudos pouco tempo depois, pensando em se tornar escritor.

A Inglaterra, em especial, despertou grande interesse em Henry James, que acabou se mudando para Londres em 1875.

Quase no século XX, já no fim da chamada Era Vitoriana, em 1898, essa obra, “Outra volta do parafuso“, foi publicada.

Henry James
Henry James

Algumas observações sobre o livro

O início da história ocorre na véspera de natal, durante uma reunião de amigos que resolveram contar, uns aos outros, histórias de horror.

Um rapaz chamado Douglas revela conhecer uma história mais assustadora que todas as outras, criando um clima de expectativa diante das pessoas que ali estavam. Algum tempo depois, o mesmo apresenta um manuscrito com a história em questão.

A partir deste ponto, começa a leitura deste manuscrito, que contém a narrativa de uma mulher jovem que não sabemos o nome.

Logo no início, esta jovem fala sobre quando respondeu um certo anúncio no jornal. Nessa ocasião, ela fez sua 1ª entrevista de emprego com um homem milionário que procurava alguém para cuidar de seus dois sobrinhos.

Ambos eram órfãos, seus pais tinham morrido na Índia. Este indivíduo extremamente rico queria contratar alguém para cuidar da educação dessas crianças.

A moça aceita o trabalho e viaja ao interior da Inglaterra, para uma enorme residência onde as duas crianças viviam com vários empregados.

Já no local, a jovem conhece a Sra. Grose, que é empregada na casa e personagem que se torna uma espécie de confidente da narradora. Também conhece os dois jovens, Flora e Miles.


Tudo parecia perfeito para a narradora da história. Ela moraria numa casa grande, com empregados atenciosos e cuidando de duas crianças aparentemente perfeitas.

No entanto, a situação começa a ficar estranha quando ela recebe uma carta do colégio de Miles informando, sem muitos detalhes, que o menino estava expulso.

Pouco tempo depois, a jovem narradora começa a presenciar eventos paranormais: dois fantasmas surgem, o primeiro é um antigo funcionário chamado Quint e, em seguida, aparece a figura da srta. Jessel, a mulher que tomava conta das crianças anteriormente.

Após saber que, em vida, Quint era muito próximo do jovem Miles e que a srta. Jessel era muito próxima de Flora, a narradora conclui que ambos os fantasmas pretendem se comunicar com as crianças para cometer alguma maldade.

Contudo, certas atitudes dos órfãos criam na narradora o sensação de que as crianças sabem que os fantasmas existem. Neste ponto, surgem algumas dúvidas:

Será que elas fingem que são encantadoras para, dessa forma, não criar qualquer suspeita sobre o fato de que ambas conversam com os fantasmas?

Será que elas estão, na verdade, sendo manipuladas por esses fantasmas e não tem qualquer controle das próprias ações?

Será que as crianças, na verdade, não estão vendo fantasma nenhum e tudo isso é loucura da narradora?

O livro “Outra volta do parafuso” segue com as tentativas dessa jovem babá em descobrir o motivo dos fantasmas estarem ali e também o que as crianças estavam escondendo dela.

Conclusão

Podemos dizer que a “Outra volta do parafuso” é uma história de fantasmas, assim como também é um excelente terror psicológico.

Além disso, todo texto é composto por uma série de mistérios e dúvidas interessantes, que criam uma enorme expectativa do leitor.

Neste livro, Henry James desperta inúmeros questionamentos, deixando o leitor sem ter certeza de absolutamente nada.

Toda narrativa é sob o ponto de vista da jovem que foi cuidar das crianças. Isso, em certa medida, é uma limitação pois caímos na zona de conforto e, dessa forma, acreditamos em tudo que ela diz.

A genialidade de Henry James, na obra “Outra volta do parafuso“, é de fazer com que, através da dúvida, você tanto leia o livro em si, quanto fique pensando sobre ele durante um bom tempo.


O que achou da resenha de Outra volta do parafuso, de Henry James? Já leu este livro ou algum outro trabalho do autor? Deixe um comentário com as suas observações!

Lembre também de acompanhar o blog Leia Para Viver nas redes sociais: YouTubeFacebook Instagram.


Veja também:


Se gostou da resenha do Outra volta do parafuso e deseja adquirir o livro, compre-o no site da Amazon (BR):

• Livro físico (Amazon)

Obs: ao comprar através dos links acima, você está ajudando na manutenção deste blog (Leia para Viver) e respectivos canais.

Deixe uma resposta