Resenha de Os Meninos da Rua Paulo, de Ferenc Molnár

Você já leu alguma coisa da literatura húngara? Aproveite para conferir a resenha de Os meninos da rua Paulo, de Ferenc Molnár.

OBS: Para conferir a resenha, você pode optar por ver o vídeo ou ler o artigo.

Aproveite e inscreva-se no canal do Leia Para Viver no YouTube.


Se tem um livro capaz de provocar fortes sentimentos de nostalgia nos leitores, esse livro se chama “Os Meninos da Rua Paulo“, do escritor húngaro Ferenc Molnár (1878-1952).

Através das brincadeiras de alguns garotos na Budapeste do século XIX, conseguimos vivenciar, novamente, um pouco da nossa própria infância.

Este pequeno livro, publicado em 1906, foi um marco na literatura húngara, além de ser bastante aclamado tanto por lá, quanto no resto do mundo.

No Brasil, tivemos algumas edições antigas da “Coleção Saraiva” e “Coleção Elefante”. Atualmente, os exemplares mais recentes foram publicados pela Cosac Naify e Companhia das Letras.

Uma observação importante: se você não gosta de spoilers, aconselho deixar a leitura do prefácio para depois que terminar a história. Algumas partes fundamentais da obra são adiantadas no prefácio de várias edições, o que pode prejudicar sua experiência.

Resenha de Os meninos da rua paulo, de ferenc molnár

Resenha de Os Meninos da Rua Paulo, de Ferenc Molnár

Tudo ocorre no fim do século XIX, quando alguns garotos, que vivem na cidade de Budapeste, resolvem criar uma espécie de “organização”.

A ideia era montar um “Império”, com leis, regras, funcionários e cargos com sistema hierárquico (líder, capitão, soldado raso etc).

O grupo de garotos brincava dessa forma num terreno abandonado que ficava numa certa Rua Paulo, passando várias horas por dia naquele local.

Além deles, haviam também outros meninos que faziam parte do grupo rival. O seu território era no Jardim Botânico da cidade, numa espécie de ilha que ficava num pequeno lago.

O espaço para brincadeiras era limitado e, por esse motivo, os meninos do Jardim Botânico resolvem atacar a Rua Paulo para tomar o lugar.

Boa parte do livro envolve, então, todo planejamento dos meninos daquela rua para criar estratégias e conseguir defender seu precioso terreno baldio.


De certa forma, esse livro nos mostra como o espaço para as crianças se divertirem está cada vez mais limitado nas cidades.

Se esses efeitos já eram percebidos no final do século XIX, imagine hoje em dia, com toda violência e insegurança das grandes metrópoles.

Um outro aspecto interessante é que Os Meninos da Rua Paulo, de Ferenc Molnár, não é apenas um clássico da literatura mas também um livro que fala sobre a importância da infância.

É curioso perceber como podemos nos emocionar com uma história tão simples. Pessoas mais nostálgicas, certamente, vão gostar muito dessa leitura.

Por fim, Os meninos da Rua Paulo é um convite para todos que desejam conhecer um pouco mais da fascinante literatura húngara.


Gostou da resenha de Os Meninos da Rua Paulo, de Ferenc Molnár? Então aproveite para acompanhar o Leia Para Viver nas redes sociais: YouTubeFacebookInstagram.

Deseja adquirir o livro? Compre-o no site da Amazon (BR) e ajude o Leia Para Viver:

• Versão do livro ebook (editora Companhia das Letras): https://amzn.to/2LCteAX

• Versão do livro físico (editora Companhia das Letras): https://amzn.to/2PmEgwz

Obs: ao comprar através dos links acima, você está ajudando na manutenção deste blog (Leia para Viver) e respectivos canais.

Deixe uma resposta