Resenha de Carmilla: a vampira de Karnstein, de Sheridan Le Fanu

Confira a resenha de Carmilla: a vampira de Karnstein, um dos principais livros do escritor irlandês Sheridan Le Fanu.


Inscreva-se no canal do Leia Para Viver no YouTube


Resenha de Carmilla – A Vampira de Karnstein, de Sheridan Le Fanu

Para quem não sabe, a capital e maior cidade da República da Irlanda (a cidade de Dublin) é a terra em que nasceram vários nomes importantíssimos da literatura mundial.

Foi lá que nasceu, por exemplo, o dramaturgo e nobel de literatura Samuel Beckett, muito conhecido pela obra Esperando Godot.

É de lá também o escritor Oscar Wilde, que publicou o O Retrato de Dorian Gray. Também são de Dublin, o Jonathan Swift, autor do As viagens de Gulliver, e James Joyce, romancista que escreveu o livro Ulysses.

Já na ficção gótica, Dublin é o local onde nasceu, simplesmente, o escritor Bram Stoker, autor do clássico Drácula, livro publicado quase no século XX, mais especificamente em 1897.

Só que, na verdade, pouca gente sabe que, nessa mesma cidade, nasceu outro escritor que também é referência quando o falamos de vampiros.

O nome desse indivíduo é Sheridan Le Fanu, autor do livro Carmilla: A Vampira de Karnstein. Essa obra foi publicada alguns anos antes de Drácula e foi, inclusive, para o próprio Bram Stoker, uma importante fonte de inspiração.

resenha de carmilla: a vampira de karnstein

Sobre o livro

O escritor irlandês Joseph Thomas Sheridan Le Fanu, considerado o fundador das histórias de fantasmas, era profundamente interessado por lendas sobre vampiros, ocultismo, demonologia (o estudo de demônios) e por fenômenos sobrenaturais.

A obra Carmilla foi publicada numa revista londrina chamada The Dark Blue. Como era comum na época, a história surgiu no formato de folhetim, entre 1871 e 1872.

Sheridan Le Fanu
Sheridan Le Fanu

No caso da edição utilizada para esta resenha, li a obra através de um livro da editora Hedra, que também possui uma introdução bem interessante do Alexander Meireles da Silva.

Bom, vamos ao livro: a história ocorre na Estíria, região que atualmente se localiza na Áustria. Toda a narrativa é feita por uma jovem chamada Laura, uma garota mimada que vive com o pai e duas criadas num castelo um tanto quanto isolado.

Certa vez, quando criança, a Laura passou por uma situação traumática e estranha: ela acordou de noite e começou a chorar de medo pois não tinha ninguém por perto. De repente, uma jovem muito bonita aparece e lhe dá um abraço, fazendo com que Laura dormisse. Só que pouco depois a própria Laura acorda com bastante dor por causa de uma mordida. Já a jovem misteriosa tinha simplesmente desaparecido.

Mais velha, com 18 ou 19 anos e ainda vivendo no castelo, Laura e seu pai passam por uma outra circunstância curiosa. Todos estavam caminhando numa noite de lua cheia quando presenciam um acidente com uma carruagem que tombou.

Dentro da carruagem, surge uma senhora. Junto dela estava sua filha, desmaiada.

Enquanto os criados tentam colocar a carruagem novamente de pé, a mesma senhora pede para o pai de Laura cuidar da sua filha, pois ela tinha uma viagem importante e não podia se atrasar.

Como Laura morava isolada do mundo e se sentia solitária, ela convenceu o pai de aceitar a proposta. Já a mulher, antes de ir, pediu para ninguém perguntar quem era a menina, sua família ou sua origem já que se tratava de um segredo que não poderiam revelar.

Mesmo achando isso tudo muito estranho, ele aceitou e a menina fica no castelo por três meses, até o retorno de sua mãe.

Quando a jovem, chamada Carmilla, acordou, tanto ela quanto Laura se reconheceram. Para Laura, ela era idêntica a moça de seu pesadelo. Já Carmilla diz ter sonhado com Laura quando era garota.

Por fim, ambas acabam se tornando muito amigas. Só que essa tal de Carmilla tinha hábitos muito estranhos: ela praticamente não se alimentava, dormia muito, se cansava fácil, tinha repentinos ataques de raiva, e muitas vezes, do nada, ficava completamente apaixonada pela Laura.

Além disso, Carmilla era sonâmbula. Certa vez, ela desapareceu, deixando todos no castelo preocupados. Algum tempo depois, apareceu toda ensanguentada aos pés da cama da sua amiga.

Podemos dizer que, logo depois dessas ocasiões, uma série de mistérios e situações ainda mais estranhas começam a acontecer, tornando a leitura muito interessante.

Analisando a obra

É importante perceber que o livro Carmilla: a vampira de Karnstein é muito mais que uma simples história de vampiros.

Para começar, essa obra introduziu toda questão erótica que relacionamos aos vampiros, mesclando isso com o aspecto misterioso que eles já possuem.

Além disso, a região da Estíria, local onde o livro foi ambientado, trouxe a ideia de inserir histórias de vampiros no leste europeu.

Isso, por sua vez, faz todo sentido já que lendas sobre vampiros eram comuns nessa região durante o século XIX. Posteriormente, este aspecto se tornou ainda mais popular com o a publicação de Drácula.

Vale ressaltar também que a possibilidade de se matar um vampiro através de uma estaca e também a capacidade dos vampiros de se transformarem em animais são dois aspectos importantes que surgiram graças ao livro Carmilla: a vampira de Karnstein.

Essa novela da literatura gótica é, sem duvida, o trabalho mais influente do Sheridan Le Fanu. Podemos concluir que muito do que conhecemos hoje, no que diz respeito aos vampiros, tem origem no trabalho deste importante escritor irlandês.


O que achou da resenha de Carmilla: a vampira de Karnstein, de Sheridan Le Fanu? Já leu este livro ou algum outro trabalho do autor? Deixe um comentário com as suas observações!

Lembre também de acompanhar o blog Leia Para Viver nas redes sociais: YouTubeFacebook Instagram.


Veja também:


Se gostou da resenha de Carmilla: a vampira de Karnstein e deseja adquirir o livro, compre-o no site da Amazon (BR):

Livro físico (Amazon)

Obs: ao comprar através dos links acima, você está ajudando na manutenção deste blog (Leia para Viver) e respectivos canais.

Deixe uma resposta