Resenha: Grito, de Godofredo de Oliveira Neto

O livro Grito (Record, 2016), foi escrito por Godofredo de Oliveira Neto, catarinense da cidade de Blumenau.

Além de Grito, Godofredo também publicou O Bruxo do Contestado, Amores Exilados, Menino Oculto, entre outras obras.

Livro Grito
Livro Grito

Sobre o livro Grito

Em seu livro Grito, temos a narração da octogenária Eugênia, ex-atriz que vive sozinha, após o falecimento do marido, em um apartamento na cidade do Rio de Janeiro.

No mesmo prédio mora um jovem de 19 anos chamado Fausto, personagem de passado obscuro, ambicioso e completamente apaixonado por teatro.

Após os dois se conhecerem, um laço é criado. Esse laço, para Fausto, é  composto por carinho e interesse diante da figura de Eugênia. Já para a narradora, a conexão estabelecida ultrapassa a barreira da amizade e se torna uma espécie de amor platônico.

Ambos criam peças juntos e utilizam o apartamento de Fausto para encenar. Eugênia auxilia nas ideias e se sente profundamente inspirada pelo jovem. De certo modo, Fausto funciona como uma forma de renovação para a vida daquela senhora.

Acontece que o ciúme e o desejo de posse fazem com que Eugênia reserve boa parte de suas reflexões diárias para pensar sobre Fausto.  Ela anseia pela presença do jovem, investiga sua vida através da internet e sempre critica suas namoradas e amigas.

“Fausto me disse ter lido depois o argumento com uma amiga, Leila Mara. Ela fazia o papel de Alice, a protagonista. A amiga adorou a peça, segundo ele. Na minha opinião é mentira dele. Para Fausto de Sá Sintra eu sozinha preencho todo o seu afeto e toda a sua arte.” (Pág. 91)

É interessante perceber que, para Eugênia, existem dois “Faustos”:

• Um corresponde ao real, de carne e osso, que lhe encanta com seus elogios, preenche parte de suas carências e possui jeito exótico de ser.

• O outro corresponde ao do seu mundo inventado, que pensa do modo que ela deseja e serve como uma espécie de complementação para as falhas na personalidade do Fausto original.


Mesmo ambos os personagens possuindo uma visão distinta do que é o teatro, as encenações se tornam parte da rotina.

No entanto, para Eugênia, estes encontros possuem mais um detalhe importante: são sua principal forma de esquecer a solidão.

Estrutura do livro

A estrutura da obra é um ponto de destaque pois mescla a narrativa de cunho literário com cenas de teatro.

As cenas funcionam como uma forma de metáfora já que representam, de forma dramatizada, alguns acontecimentos na vida de Eugênia e Fausto.

Essa proposta torna a obra extremamente rica, além de proporcionar uma experiência de leitura muito atrativa e inovadora.

A sensação é de que a vida dos personagens se mistura com a arte, formando uma coisa só. É como se tudo fosse uma grande peça de teatro.

Conclusão

Com várias referências aos clássicos (como, por exemplo, Shakespeare e Goethe), o livro Grito é uma homenagem tanto para o teatro em si quanto para aqueles que vivem e respiram essa forma de arte.

Além disso, após ler esta pequena obra podemos observar que a conexão estabelecida entre os personagens não ocorre apenas com base na paixão pelo teatro.

Para ambos, encenar é mais do que uma atividade; é uma forma de atenuar as dores e feridas acumuladas ao longo da vida.


O livro Grito, de Godofredo de Oliveira Neto, está disponível no site da Amazon (BR).

• Confira o livro na Amazon.com.br

Deixe uma resposta